sexta-feira, 9 de julho de 2010

Astronomia e astrônomos

O primeiro contato que geralmente temos com a astronomia é simplesmente ao contemplar um magnífico céu estrelado. Por esse motivo a astronomia é a ciência mais antiga da humanidade. Foi olhando para o céu que nossos antepassados tentaram aplicar matemática para explicar os fenômenos observados. Para isso, os povos da antiguidade usavam a geometria, que era todo o conhecimento matemático da época. No caso da antiga Grécia, por exemplo, isso aconteceu há mais de 2000 anos.

Com a evolução dos conceitos científicos, o nascimento da física newtoniana e o uso da luneta para observação do céu, no século XVII, passou-se a interpretar os fenômenos celestes como uma extensão dos fenômenos físicos que vemos aqui na Terra e não de uma natureza "etérea" como se especulava antes. Hoje, o entendimento físico dos fenômenos celestes é o centro da astronomia, que também passou a ser chamada de Astrofísica, e esse é o papel dos astrônomos profissionais. Além do conhecimento físico (termodinâmica, mecânica quântica, gravitação, etc) estes astrônomos, ou astrofísicos, quase sempre trabalham com instrumentos que estão na fronteira do avanço tecnológico de seu país e, dessa forma, impulsionam o desenvolvimento deste país.

Paralelamente, a popularização dos telescópios nesses tempos modernos deu origem a uma outra "classe" de astrônomos, chamados de "amadores". São pessoas que se dedicam, além da sua atividade remunerada normal, também à observação do céu, como um hobby. Eles utilizam pequenos telescópios para, por exemplo, registrar fotografias dos astros no céu, as astrofotografias.

Mas há casos em que essa dedicação é muito maior. Existem grupos de astrônomos amadores que colaboram diretamente com astrônomos profissionais e, assim, com o desenvolvimento científico. Dois exemplos são de astrônomos amadores franceses que, sob coordenação de astrônomos profissionais, contribuem para aumentar a base de dados de determinados tipos de estrelas em catálogos astronômicos e o de astrônomos amadores brasileiros que monitoram a ocorrência de supernovas nas galáxias visíveis do hemisfério sul.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Fascínio do Universo

Olas,

um texto interessante para alguém que gostaria de ter uma noção de astronomia e do que vem sendo feito no Brasil é o livro Fascínio do Universo, editado especialmente para o ano internacional da astronomia. Ele está disponível em pdf no link:

http://www.astro.iag.usp.br/fascinio.pdf

Segue o resumo do livro:

" Neste livro você vai ler textos sobre pesquisas
atuais em Astronomia, escritos por pesquisadores
da área, refraseados em linguagem jornalística.
As informação são atualíssimas, mas a
linguagem é compreensível por não iniciados.
A cobertura de temas não é e nem pode
ser completa num pequeno livro, dado que a
Astronomia é vastíssima. Ela representa a visão
de alguns pesquisadores, formada a partir de
seus postos, na fronteira da pesquisa. Ela mostra
também como a área se estrutura no Brasil, em
termos de empregos, formação de pessoal e
atividade de divulgação. A primeira edição é de
40 mil exemplares, distribuídos gratuitamente,
principalmente para escolas públicas. A Astronomia
brasileira tem uma história de sucesso nos últimos
40 anos, reconhecida internacionalmente.
Graças ao apoio das agências de fomento
à pesquisa, federais e estaduais, ela continuará
crescendo na próxima década. Temos pouco mais de
duas centenas de cientistas na área e esse número
precisa aumentar bastante para o Brasil fazer jus às
suas aspirações de país desenvolvido."

Começando o caminho

Olá!

Por ser o início deste blog acho interessante falar de uma vez como a maioria de nós começa o caminho para estudar astrofísica.

A maioria de nós, senão todos, colaboradores do blog atualmente, passou por uma graduação em física para depois chegar a uma pós-graduação (mestrado ou doutorado) em astrofísica .

Hoje, existem duas opções para quem deseja começar direto da graduação uma carreira na astronomia profissional: os cursos da UFRJ (http://www.ov.ufrj.br/index_1024x768.htm) e da USP-São Paulo (http://www.astro.iag.usp.br/). Mas os cursos de astrofísica no país são de pós-graduação, principalmente, o que é essencial para seguir carreira na área já que esta é uma carreira acadêmica. Há cursos assim em muitas universidades do país, além do INPE (http://www.das.inpe.br), nosso local, e das universidades já citadas.

Vamos comentar também as diferenças entre a astronomia profissional e a "amadora" e no que elas podem ser complementares, mas isso é para outro post.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

JD 2455385 - o início

Bom dia!

A idéia do blog é ser um 'lugar' para compartilharmos nossas experiências enquanto estudantes da pós graduação em astrofísica. Quem somos, o que fazemos, como fazemos, nossos interesses... afinal, em algum momento de nossas vidas quisemos saber: o que eu tenho que fazer pra ser um astrônomo? Quem sabe aqui possa ser um espaço para discutirmos isso, e quem sabe ajudar outras pessoas a chegar onde estamos (e muito mais além, afinal, o espaço é a fronteira final).

Então fiquem à vontade para falar sobre seus temas de pesquisa, ou qualquer outra coisa relacionada à astrofísica/ astronomia e às nossas atividades na pós graduação. Não existem regras sobre o formato e a frequência das participações, é tudo bem informal mesmo.

Vale lembrar que esse blog é iniciativa dos alunos e não está ligado aos programas de pós graduação a que estamos vinculados, ou seja, representam as ideias e opiniões particulares de cada colaborador.