terça-feira, 13 de julho de 2010

Radioastronomia

Falando de grupos amadores, como mencionei no meu último post, curiosamente o nascimento da radioastronomia está ligado aos rádio-amadores.

No começo do século XX, com a experiência bem-sucedida de transmissões transatlânticas de rádio por Guglielmo Marconi em 1901, pensava-se que apenas baixas frequências fossem úteis para comunicação à longa distância. Assim, as primeiras regulamentações para estações de rádio deixaram as frequências mais altas para os rádio-amadores, aqueles que estavam interessados em rádio para fins pessoais/experimentais, não comerciais.

As experiências bem-sucedidas desses amadores estimulou a pesquisa mais detalhada por parte de empresas sobre possíveis fontes de interferência em comunicações transatlânticas para frequências mais altas, com o fim de aumentar a banda de frequência disponível para fins comerciais. Os Laboratórios Bell destacaram-se nessas pesquisas e, em 1932, Karl Jansky, físico a serviço dos Laboratórios Bell, descobriu as primeiras evidências de que objetos celestes emitem sinais de rádio, no seu caso vindos do centro da nossa galáxia, a Via Láctea.

Depois da descoberta, os Laboratórios Bell não permitiram ao próprio Jansky aprofundar suas pesquisas. Concluída a investigação sobre interferências em comunicações transatlânticas (quase nenhuma), Jansky foi deslocado para outro projeto.

A detecção de ondas de rádio só começou a se instituir de fato como nova técnica para a astronomia depois da Segunda Guerra Mundial, quando surgiram muitos grupos de engenheiros e físicos montando observatórios dedicados a apontar antenas cada vez maiores e melhores para o céu. Assim, descobriram fenômenos muito curiosos como, por exemplo, objetos celestes que são fontes de rádio muito intensas e, ao mesmo tempo, de brilho muito fraco em telescópios ópticos.

Uma das ciências que agradecem o nascimento da radioastronomia é a cosmologia. Usando essa técnica, os cosmólogos podem medir a radiação cósmica de fundo em microondas, uma das principais evidências da validade da teoria do Big Bang. Além disso, uma gama de outros assuntos pode ser explorada com a radioastronomia: a existência de buracos negros, a formação de moléculas no meio interestelar, a atividade solar que pode afetar nosso pequeno planeta Terra, entre outros assuntos.

3 comentários:

  1. Olá pessoal...ótima a iniciativa de vocês, parabéns por divulgar essa ciência tão fascinante...é isso aí,to acessando direto da Alemanha..rss...e manêro também o reastreador de visitantes por país...rss!
    Saudades dos colaboradores!Abração a todos!J.

    ResponderExcluir
  2. Eu Pires sou presidente do Clube de Astronomia de Baturité e o blogs está de parabém em tranmitir o conhecimento , pois é no conhecimento na exploração Cientifica e Analítica que se fundamenta a educação e a cultura de um povo. gostaria que nosso blogs fosse adicionado www.clubeastronomiabaturite.blogspot.com
    e-mail piresarquiteto@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. gostei muito, também tenho um blog é http://umpoucodaciencia.blogspot.com

    depois da uma olhada, dê sua opinião também ^^
    visito o astrofisicos semanalmente sempre que posso :p

    ResponderExcluir